O SINDICATO

A ditadura militar que iniciou em 1964 acabou com a estrutura populista dos sindicatos montada por Getúlio Vargas. O enfraquecimento do sindicalismo permitiu que ele renascesse de forma diferente nos anos de 1970. As comissões de fábrica surgiram de necessidades imediatas dos operários e tornaram-se representantes com grande poder de aglutinação.

Em meio a esse contexto, em Caxias do Sul, seis funcionários do Expresso Caxiense se reuniram para começar a formar uma associação para proteger os direitos dos trabalhadores rodoviários. Os idealizadores desta associação, que deu origem ao Sindicato dos Rodoviários, foram Nilo Tochetto, Alziro Ribeiro, Dalcyr Santo Bellaver, Valdomiro Francisco Lazzari, Olinto de Almeida Chaves e Honorino Scremin.

Os seis trabalhadores encontraram resistência dos colegas para a participação das assembleias de empregados, pois o medo da demissão era grande. A estabilidade só viria com o registro no Ministério do Trabalho. Mesmo assim, eles conseguiram convocar uma assembleia para instituir a associação no dia 26 de fevereiro de 1972, considerado a data de fundação do Sindicato.

“Na época, era difícil formar um sindicato. Caxias ia completar 100 anos e não havia um sindicato para os motoristas. Em fevereiro de 1972 nos organizamos entre colegas e nos reunimos no Sindicato dos Metalúrgicos, que nos assessorou para formarmos o nosso sindicato”, lembra Valdomiro Lazzari, que hoje é secretário do sindicato.

Em 6 de junho do ano seguinte, 1973, a pequena associação foi reconhecida pelo Ministério do Trabalho como Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Caxias do Sul. Nilo Tochetto foi eleito, então, o primeiro presidente da entidade.

Não demorou para o Sindicato começar a lutar pelos direitos dos trabalhadores e alcançar melhorias. “A nossa primeira conquista foi a formação da convenção, em 1975, do Expresso Caxiense e, logo em seguida, com o Sivecarga. Essas e todas os benefícios que conquistamos para os trabalhadores, conseguimos porque sempre tivemos boas negociações com as empresas”, conta Lazzari.

Em 1979, o Sindicato participou da fundação da Fetrarod, a Federação dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Rio Grande do Sul, filiado à CNTTT, Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Terrestres. As duas instituições representam o Sindicato dos Rodoviários de Caxias do Sul e Região no Estado e no país.

A década de 80 foi de fundamental importância para os trabalhadores rodoviários de Caxias do Sul e Região. Com o Sindicato articulado, e crescendo a cada dia, mais benefícios foram conseguidos, como o quinquênio e a equiparação salarial com Porto Alegre. Os funcionários da Visate e do Expresso Caxiense passaram a ter direito a plano de saúde e cesta básica e, os funcionários do transporte intermunicipal e de fretamento, a pelo menos um dos dois benefícios.

Na gestão de Valdomiro Francisco Lazzari, em 1982, foi adquirida a primeira sede própria, que funcionava junto com o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Caxias do Sul, na rua Coronel Flores, no Bairro São Pelegrino.

Em 1988 na gestão do presidente Carlos Batista Conrado, foi adquirida a primeira parte da área da sede campestre, no bairro Pedancino. Também foi inaugurada a subsede de Vacaria.

Em 1999 foram adquiridos dois terrenos para a construção da atual sede do Sindicato, na rua Ernesto Alves. O presidente era Ermani Brollo, atual segundo tesoureiro da entidade. A construção do prédio começou em 2001 e, em 2003, o Sindicato passou a funcionar na nova casa.

Ainda nesta gestão, foi construída a sede de Canela, adquirida a de São Marcos e instalada as subsedes de Farroupilha e Vacaria. Foram comprados, ainda, novos gabinetes de odontologia e de raio x. Também foi ampliada a sede campestre, com a aquisição de mais seis hectares de terra.

“Nesta época, os diretores do sindicato iam para a sede no fim de semana para transportar material e ajudar na construção porque não havia dinheiro para mão de obra”, conta Ermani Brollo, que chegou a penhorar bens particulares para fazer empréstimo em nome do sindicato. 

O Sindicato Hoje


O Sindicato dos Rodoviários de Caxias do Sul e Região é fruto de uma construção que começou na década de 70 e hoje se consolida como um sindicato forte, com grande participação social, e que é protagonista da luta, da mobilização e da capacidade de negociação que beneficia os trabalhadores que levam para escola, que transportam para outras cidades, que levam ao trabalho, que carregam alimentos e outros bens de consumo.

O momento é de qualificação e de ampliação da comunicação com os associados e demais trabalhadores da categoria. Em 2012, depois de 40 anos de trabalho árduo, os diretores do Sindicato resolveram que é hora de levar ao conhecimento da categoria as suas ações. “Este ano, queremos mostrar para o trabalhador tudo o que já foi conseguido, para que tenha conhecimento do trabalho realizado pelo Sindicato”, conta Tacimer.

Depois de muito trabalho, hoje o Sindicato conta com mais de 2.000 associados e uma infraestrutura que favorece os trabalhadores e seus familiares. A base territorial do Sindicato, que iniciou em Caxias do Sul, hoje abrange Flores da Cunha, São Marcos, Farroupilha, Antonio Prado, Vacaria, Nova Roma do Sul, Ipê, Bom Jesus, Jaquirana, Cambará do Sul, São Francisco de Paula, Canela e Gramado.

Em 1996, o atual presidente Tacimer Kulmann da Silva foi convidado pela diretoria do Sindicato para assumir a diretoria de esportes. Tacimer aceitou prontamente o convite. Sócio do sindicato desde 1990, e sempre engajado em suas lutas, em 2008, ele foi eleito presidente da entidade. Como maiores conquistas da sua gestão, cita os novos benefícios conquistados para os trabalhadores. Na gestão atual, o Sindicato conseguiu que as empresas Waldemar Transportes, Rodmaster Baterias, Kalinca Transportes e Rodomóvel Transportes passassem a pagar PPR aos trabalhadores. Também conseguiram o Prêmio Assiduidade na Expresso São Miguel e na Bento Brasil Transportes.

“Nossa luta diária é manter os benefícios já alcançados e conquistar outros”,

explica o presidente.

Tacimer lembra que todos os benefícios que os trabalhadores da categoria recebem são alcançados graças à capacidade de negociação dos diretores com os sindicatos patronais e à participação da categoria. “Quem conquista os benefícios para os trabalhadores é o Sindicato, por meio de negociações, de dissídios. Nenhuma empresa concede benefícios sem o Sindicato negociar”, expõe.

Nos planos do presidente para os próximos anos, estão a manutenção da sede na rua Ernesto Alves, reformas e ampliação da sede campestre, e mais uma ótima surpresa para os associados: “Vamos construir o Centro de Eventos do Sindicato num terreno de 3.753 metros quadrados dentro do perímetro urbano de Caxias do Sul. Logo iremos inaugurar a planta do Centro, que terá quadras de esportes e estrutura para shows, contando com espaço para 2 mil pessoas. Mais uma maneira que encontramos para beneficiar nossos trabalhadores”, conclui o presidente.

Tacimer nasceu em 19/12/1970 na cidade de Esmeralda, RS. É filho de Noerci Hofmann da Silva (em memória) e Lidia Kulmann da Silva (em memória).

Veio para Caxias do Sul em meados de 1988 em busca de trabalho. Foi morar de favor com sua irmã, em uma casa na qual todos trabalhavam de dia para terem o que comer à noite. Em 1990, começou a trabalhar na transportadora Trans-Santos, como ajudante de carga “batendo caixa”. Neste mesmo ano associou-se ao Sindicato dos Rodoviários de Caxias do Sul e Região. Ficou quatro anos naquela empresa e ganhou a oportunidade de tornar-se motorista. Ele não perdeu a chance e agarrou a oportunidade com as duas mãos.

Nos anos de 1994 a 1996 colaborou como motorista na empresa Reunidas Transportes atuando na coleta e entrega de mercadoria. No final de 1996, realizou mais um de seus sonhos, alcançou a possibilidade de ter um plano de saúde, agora como colaborador da empresa Irapurú Transportes, onde continua até hoje fazendo parte do quadro de colaboradores. No mesmo ano de 1996 foi convidado a fazer parte de uma das chapas que disputariam o comando do sindicato daquele ano, com o cargo de Diretor de Esportes. A sua chapa foi a vencedora. Tacimer atuou por três gestões, de 1996 a 2008, como Diretor de Esportes, quando os seus respectivos Presidentes foram o Sr. Hermani Brolo e o Sr. Acelino de Araújo.

Teve como um de seus trabalhos mais marcantes e duradouros, o Torneio de Futebol 7, o qual segue sendo realizado anualmente, de forma firme e forte. No início foram sete equipes. Neste ano de 2015, o torneio foi realizado contando com 28 equipes. Em 2008, com o consenso da diretoria atuante, montou uma chapa para concorrer à Presidente, onde venceu a eleição com a contagem de 80% dos votos válidos.

“Iniciei 2009 com um convite para participar de uma chapa na Federação dos Rodoviários do Estado do Rio Grande do Sul, aonde aceitei prontamente, tendo o cargo de Diretor Efetivo. Este título perdurará até 2017.”

Após quatro anos no exercício da função de Presidente voltou a concorrer para o mesmo cargo. Desta vez, obteve uma aprovação ainda maior, conquistando 86% dos votos válidos.

Como Presidente, com toda sua diretoria, adquiriu como patrimônio para a entidade, uma área de 3.753 metros quadrados, com o objetivo de construir um grande centro de eventos. Esta área fica localizada na BR 116, próximo à entrada do bairro Ana Rech, em Caxias do Sul, RS.

“Quando cheguei na serra, minha mala era um saco de 5Kg de açúcar, e nos pés um chinelo doado. A vida era dura. O sonho era quase impossível, mas eu tinha fé, queria ser alguém… criado com a educação do campo onde a lealdade, a humildade e a verdade contam muito, abracei o que aparecia para me manter sem fome e dava Graças a Deus, pois de onde eu vinha não tinha nada, nem sonho, nem vida, nem pão. Vim crescendo, vim sofrendo e aprendendo. Enfim, vivendo.

Após tropeços e muito suor, ganhei, por merecimento, a bênção de fazer parte de um grupo no qual consigo trazer a diferença para os que sofrem como eu sofri.

Hoje minha vida é um livro aberto e gratuito, para todos aqueles que quiserem dividir comigo esta história da vida real.

Sou Presidente do Sindicato, sou humano. Penso e sou o contexto que os calos das minhas mãos e o sofrimento enraizaram em mim: – Acredito que sem Deus, sem a persistência e sem a existência de um sonho, eu não conseguiria estar aqui!”.

Sede Campestre

A sede campestre do Sindicato é uma estrutura voltada ao lazer e ao descanso dos trabalhadores rodoviários e de suas famílias, o associado não paga nada a mais por isso.

A área construída de 4 (quatro) hectares, contém aproximadamente 250 churrasqueiras em uma área totalmente revigorante e revitalizam-te. Também possui campo de futebol 7 (sete), área para camping, parque infantil, salão de festas e estacionamento, piscinas adulto e infantil.

O presidente e sua equipe diretiva se preocupa com a qualidade de vida da família rodoviária, aonde sempre estão buscando inovações e qualidade para a sua sede campestre. Foi colocado um diretor responsável pela mesma, no qual fica totalmente atento na movimentação e cuidados diversos. Salientamos que é um trabalho árduo, mas não deixamos de fazê-lo pois somos responsáveis por esta família rodoviária.

GALERIA